Cinderela...Eu?

RECEBIDA COM MUITO CARINHO:

No fundo és um romântico. Uma Cinderela esperando, travestida de príncipe e solta nas ruas enfrentando dragões. Por isso te amo. Adoro os que vestem disfarces como eu. Beijo doce.



Tinha que publicar, pois foi a coisa mais linda que alguém me disse nesses tempos estranhos.
De uma pessoa que amo e admiro. Bju salgadinho que doce da diabete. :)

Eu vou...e ela foi, e todos sem coragem de ir com ela. Será que é coragem que faltou?

  Parar de ficar repetindo isso. Sumir quero sair dessa merda toda. Esquecer de todos, de tosdos. Preciso desaparecer, e não é pra fazer frisson, até por que não tem ninguém ligando se eu estou ou não nessa porra aqui. Caralho como eu quero ir embora, me de coragem, se há algum deus nessa porra de mundo e de vida. Me deixa sem coração, me torna sem sentimento, sei que mereço sentir tudo isso mas não quero. Me tira desse lugar,  deixa e me da coragem de sumir dessa buceta, dessa porra, desse caralho dessa merda que se tornou a minha vida. Dessa rotina rídicula. Me deixa coração por que não posso ser frio e mal amado como antes, por que não posso ser autosuficiente.

Tonto, bêbado, giros. É tudo que faço agora pra esquecer esse mundo. O Paulo me entendi...kkk....OPaulo sabe. O Paulo sabe de tudo,  ele sabe de tudo.

Quero chorar, mesmo, muito, sempre .

tUDO PASSA. Tudo passa. Tudo pasa Damasceno e a Madonna ta contigo pro que der e vier. Ela vai estar do sua lado. Me deixem, mortais, desse sentimento patético que é amar. Não fui bem nascido pra isso.

Quero trocar meu coração por um pedaço de calçamento. Posso? Não pedi isso, me entregaram errado.

eu te amo, mas não quero mais... Já deu voce não qerer já entendi.


opaco e vazio.

Assim falou a Rainha



''Quando você quer alguma coisa, você vai e faz"

"Quando agente quer aprender, meu filho!. Agente aprende sozinho"

''Ehhhh! você ta é por fora da vida''

" Nunca pensei que você fosse ser assim meu filho, tão esquisito"

"Eu não trabalhei tanto na minha vida...pra vc sair assim"

" Você vai sair desse jeito...Não to nem acreditando"

"Venha pegar o café, que eu tenho mais o que fazer"

" Casa véia desarrumada, me da uma agonia ver essa casa desse jeito"

Voce esta vivendo em condições subhumanas"

Voce  quer é aparecer"

"Vai logo nu!"

" Quero saber de nada não!"

"Sai da frente, seu cabravéi"

" Sai daqui, me dê isso ai que eu faço...vá pra lá""



Correr até o salto alto rasgar meus pés.
Ate estourar todas as articulações.
Voar alto até derreter minhas asas de papel filme.
Seja, seja...vá e seja.
Vem comigo, vamos.
Quero me perder nesse mundo que nos é tão pequeno grande rainha

Deusa suprema de meu mundo, o que seria de mim sem você.
Salve a verdadeira Madonna. MULHER GUERREIRA.



Achados e perdidos.



The Room - Vancouver Film School (VFS) from Vancouver Film School on Vimeo.


          Criado por Vancouver Film School estudante Christian Smith através da VFS Animação 3D e programa de Efeitos Visuais. Sound Design por estudantes VFS Jose Enriquez Rivaud Sawa & John.


          Espero um dia poder ter capacidade de criar algo do tipo. Fiquei triste hoje, pois aparentemente minha câmera sumiu, acho que roubaram ou caiu da minha bolsa. Tô muito triste com isso, pois ela é um dos meios mais fortes que tenho de expressar-me na rede. Não sei como vou fazer agora, terei que pedir emprestado da Genitora, até poder ter condições de adquirir outra.

          E LOGO AGORA QUE TAVA FAZENDO UM VÍDEO NOVO, VOU TER QUE PARAR POR HORA E VER O QUE FAÇO.

MERDA-BOSTA!

Next vídeo da Fábrica de Damas ( imagem divulgação)





         Descobrindo novos efeitos na minha life, pensei em um vídeo novo. Vou tentar caprichar e fazer algo direito.
Passei a noite acordado, meio isolado do world. NÃO SAI HOJE... Preferi ficar em casa, até porque eu não seria boa companhia  pra ninguém.

         Chroma Keyer é o futuro, se liga na mulher do tempo apontando pro mapa e dizendo as temperaturas e blá blá blá ou a mulher do JN(Jornal Nacional que tem um globo, meu amor!). Pois é, aprendi a fazer aquele mafuá lá, sei que não é novidade afinal qualquer um que tenha algum interesse pelo assunto: Vídeo e tenha um computador pode fazer, mas estou todo besta aqui. Escrevi até um post... Oh besteira, né?

Ah! Gente tem um conceito viu, né putaria não.kkkkkkkkkkkkkkkkkkkkk

Um co(r)po Vazio, Oco, Podre Morto, Ausente, Offline. HELP ME. LOVE ME.

   Gostaria de não ter que escrever sobre mim, gostaria de não sentir o que sinto agora. Um sentimento de impotência  de angústia e de uma solidão insuportável, daquelas que se dá nó na garganta. Chorar pelos cantos, sensação de invisibilidade e de achar que sou a pessoa mais desagradável e mal amada do mundo. Meus dedos doem ao ter que escrever declaração essa de inferioridade, e não por que seja melhor do que o resto da humanidade, mas por que minha infância me ensinou a ser assim, minha vida me ensinou a não baixar a cabeça e acreditar no que posso fazer.

   Eu não sou egoísta, eu não sou egocêntrico...só quero ser amado. Mas não sei como faz... eu machuco, eu mordo, eu arranho, mas quero é beijar, acariciar...Sei lá!

   O vácuo no meu peito voltou, faz muito tempo que não sinto ele, uma sensação de desimportância. Como se quisesse falar com as pessoas e elas não quisessem me ver, conversar comigo.

não sou egoísta
não sou egoísta
não sou egoísta
eu não sou egóista.

Oi!! tem alguém ai, por favor se tiver fala alguma coisa...uma carinha, um ''oi'', um ''vc é um idiota'', UM ''e AII VIATHON'', qualquer coisa serve.

Um buraco imenso nessa pedra de calçamento que tenho por coração. Quero um abraço, quero ser cuidado, quero quero quero como nunca quis.

E se existe esse alguém em algum lugar, por favor apareça.

Todas as manhã acordo sonhando em encontrar alguém, alguém que faça esquecer tudo que foi vivido todas as experiencias desagradáveis que os que conheci tiveram comigo. E agradeço por todos os momentos bons que e proporcionaram. Pode ser repetido, pode ser alguém que já tive tem problema não tá!(rsr!)

Dei pra chorar agora.
Dei pra ficar horas  a fio debaixo do banheiro esquecendo da vida, do tempo, de mim.
Dei pra esquecer e não conseguir.
Dei pra não conseguir dormir por estar com a cabeça cheia, por me sentir um monstro.
Dei pra cansar.
Dei pra duvidar de Andy.

A ironia que desejava pregar no mundo acabou voltando-se contra mim, hoje ela me domina. Lembrei do que um amigo meu me disse um dia - Felipe, você é uma farsa! ( rindo) - levei com brincadeira, mas percebo que é isso.
Uma farsa de garoto.
Uma farsa de artista.
Uma farsa de homem.
Uma farsa de bailarino.
Uma farsa de filho.
Uma grande farsa.
Simulado e simulando o que nunca quis ser na minha infância.

Nunca me senti tão vazio como nesses dias.

Estão desconstruindo Duchamp e eu estou ficando maluco.

 
       Após ter lido Desconstruir Duchamp de Affonso Romano de Sant'Anna(que recomendo) fiquei absolutamente transtornado.Transtornado com esse excesso de falatório em determinadas obras de arte, que me são vazias, onde elas me incomodavam e me incomodam, mas não sabia por que, e creio que após essa leitura algumas coisas referidas a isso tenha se esclarecido um pouco.

       Ele cita milhares de pessoas em uma palestra( ''Sempre um Papo'', projeto da Casa Fiat de Cultura) e um desses citados ele tira algumas frases que muito me perturbaram como:

A linguagem é autônoma. A obra esta ali.

       É isso que ocorre hoje. Uma espécie de sagração exacerbada ao conceito de uma obra absolutamente vazia. Que é apenas ostensiva de uma intelectualidade e criatividade artística, que talvez não sejam atributos desse tal artista. Um festival de quem faz o maior escândalo, quem faz a coisa mais bizarra(ou criativa se lhe desagradar o termo). Dentre tudo isso questionou e questiona-me ainda: Onde estou nesse mar todo? Será que faço arte dessa maneira, criando escândalos para parecer inteligente? Será que sou artista?
E o mais problemático: De que maneira posso estar como artista, libertando-me dessa enxurrada de arte autocontemplativa do ego e do intelecto?


Como fazer arte, sem ter que fazer uma tese de pós-doutorado? (e essa é destinada não só a mim, mas a arte como um todo)


      Saindo um pouco da crise existencial de uma BEESHA que se pretende artista venho com essa máxima (no sentido de ser incrível) de Roland Barthes, um crítico, sociólogo, escritor... Enfim um cara que leu HORRORES, citado por ele na palestra, onde me bolei de rir e resumi o que tentei expressar aqui:

O que é a invenção textual de uma obra. O que é a alucinação verbal diante do nada.

     Gente eu ri muito, tive um orgasmo. Não é engraçado?! Soltei a gaitada.



Link:  



Profecias.Para ser conceito



Lição number 1

Não responda as perguntas diretamente, seja misterioso. Use muito ''Talvez'', ''Penso que...".

Mude o ''outro'' de lugar na frase:
Escolhi outros caminho. >>>>> Escolhi um caminho outro.





Lição number 2

Ao escutar músicas atuais de duplo sentido, estilos populares apegados ao sensacionalismo pelo viés da sexualização, reaja franzindo a testa, cruzando as pernas, etc... Sempre se colocando diante de um estudo antropológico.

Não diga que gosta. E se o fizer faça após uma breve e talvez falsa, análise antropológica, assim além de inteligente você irá parecer vanguarda.





Lição number 3

Se você esta em um teatro ou museu ou qualquer templo de arte(especificamente contemporânea) e o que esta sendo posto como obra lhe causar tédio.Continue. Resista, mantenha sua postura de intelectual acima de qualquer coisa.

Quanto mais chata a obra mais inteligente você parecerá, quando sair vitorioso por ter ficado até o fim.





Lição number 4

No momento da partilha(aquela parte que termina e todos vão pra o Hall instintivamente dividir suas impressões estéticas) seja blasé, não demonstre entusiasmo, diga que gostou, mas elenque pontos críticos, mesmo que não saiba o que está falando, assim todos gostarão de lhe perguntar( o que você achou?), ganhando assim prestígio e sendo considerado a reencarnação do intelecto do próprio Friedrich Nietzsche( QUE DIGA-SE DE PASSAGEM...ESTÁ EM ALTA)

Isabel,as Vacas e a vontade de que você vá pra puta que lhe paril

    Explodir em milhões de partículas de imagem, a vida nos é tão...

     Não sei o que quero dizer, os meus dedos não raciocinam ao escrever essas palavras, decidi sentar e escrever o que vier, o que quiser vir. Como um ataque cardíaco, que de repente, fulminantemente ou não  lhe arrebata e então você se liberta.

     O que é se libertar, o que é esse conceito torto, confuso e absolutamente ilógico de liberdade. Vacas, são livres, vacas não precisam pensar elas só precisam ruminar o que já existe , por que as vacas são felizes? Elas são felizes por isso, Por isso Isabel é feliz, ela não tem noção da realidade, ela nem ao menos sabe quem é, de onde veio, e para onde vai( se bem que as ultimas dúvidas referidas a Isabel, não são particularmente dela, mas do todo). 

 Quero sim, explodir em milhões de pedacinhos de imagem colorida, como um televisor falho, incompleto, fora de sintonia. Será que na verdade quem não saiba de nada  seja eu? Talvez Isabel saiba mesmo mais do que eu. Talvez Isabel seja uma grande....Talvez ela seja importante e eu...apenas esse ninguém que tenta desesperadamente ser lido, ser ouvido.


 Vão pro inferno...não preciso de nenhum de vocês, corja de macacos inferiores. 

   Fica só mais um pouco, não me deixa aqui não.

       AHHHHHH! Quero muito sair daqui. Esquecer todos vocês e sumir. Não quero lembrar de ninguém nem mesmo de mim. De que importa esses escritos a alguém. Pra que perco tanto meu tempo tentando escrever ou falar com alguém, quando na verdade ela só queria um cigarro. Desculpa eu não tenho cigarros!
   
    A pessoa se foi. Me deixou. foda-se. fodam-se todos vocês que acreditam em algum tipo de comunicação nessa porra toda. O que importa mesmo é fuder. EU QUERO SAIR DAQUI. Não queo ter que ver nenhum de vocês. NÃO QUERO VER O MSN AVISAR QUE você ESTA ONLINE, ME DA UMA AGONIA PROFUNDA,UM DESEPERO.



Não querido(a) eu não estou falando de você, foda-se você também. Vou entregar-me ao primeiro que aparecer. te odeio odeio o mundo odeio odeio odeio.




Nasci portanto um ódio que me é incomum, mas foi graças a ele que cheguei aqui. Mentira! pare de fazer frase de efeito. Pronto todas entraram em crise. O mundo está em crise. Acham por ai a fora que é charmoso entrar ou estar ou ser crise. Eu respeito. 
RESPEITO???

KKKKKKKKKKKKKKKKKKKKKKKKKKKKKKKKKKKKKKKKKKKKKKKKKKKKKKKKKKKKKKKKKKKKKKKKKKKKKKKKKKKKKKKKKKKKKKKKKKKKKKKKKKKKKKKKKKKKKKKKKKKKKKKKKKKKKKKKKKKKKKKKKKKKKKKKKKKKKKKKKKSAIR SAIR. 
ONDE POSSO ENCONTRAR A  SAÍDA DE EMERGÊNCIA?  
VÃO! SUMAM!
 AMANHÃ ESTAREI DIFERENTE, ESTAREI DIANTE DO SOL E TALVEZ ISSO ME FAÇA SORRIR.

MEU CU PRA VOCÊ.

Festa FAKE - Necessidade de Ser Melhor que os Outros


  

    Foi uma noite bastante interessante, e aqui estou para os que se interessam para contar o que houve. Comecei na boate Cristal, que de cristal não tem nada, nem se quer pode chegar a posto de brita ou pedra polis.


   O que foi divulgado como Open Food não passou de um amontoado patético de salgadinhos de quinta. Até que eram bons devo confessar, mas quando se diz Open Food, entende-se por comida liberada de tipos variados minimamente e não restos de uma festa de aniversário infantil de uma criança em situação de risco social e financeiro. O Open Bar não passava de um único coquetel ( devendo deixar bem claro que chega a ser ofensivo chamar aquilo de coquetel. Salve Iole Godinho, a Rainha), uma espécie de água suja de suco de goiaba, pingado de vodca, onde o ''suco'' tinha por recipiente uma embalagem similar a embalagem de desinfetante de cinco litros, mas fiquei feliz por não ser garrafas Pet.


   A música era estranha aos meus ouvidos e confesso conhecer poucas das músicas que ali ouvi, e fico orgulhoso de fazer parte de uma festa como o Ocupa-se. A música era ruim( como senti falta da playlist do Wlad!). A boate é uma espécie de tentativa de sofisticação falha da Divine. Não que todas essas coisas sejam problemáticas suficientes para o não funcionamento do estabelecimento, mas cobrar vinte e cinco reais para isso acho demais.

   Ah! Devo lembrar obviamente da apresentação de uma cover de Lady Gaga. Sem comentários, mas para ser sucinto: fraco, sem vida, sem criatividade, e um trabalho de corpo muito ruim, mas compreendi o porquê após saber que estava iniciando sua carreira, então... Relevei! Além do que à achei muito simpática e isso é muito bom, além de muito parecida com Gaga o que pra cover deve ser um elogio. 

   Enfim, peoples...maquiemos tudo.
   Ou seja, o que salvou, foi o que tinha levado de casa. Minha Best friend. 


    De lá fomos para o Cine Betão, não chegamos a entrar ficamos lá fora e não tenho coisas muito interessantes a ponto de serem relatadas em texto, além do fato de um mendigo nos alugar relatando suas experiências sexuais com homens e mulheres e, gesticulando de maneira teatral com havia lambido os seio e a vagina da mulher que ele havia pegado para fornicar, não teve nada. Ah! Teve também a tentativa, por parte dele de nos mostrar sua zonas erógenas o que não nos interessou nem um pouco. KKKKKKKKKKK


Um Pai Alheio.



Hoje, fora do território fortalezense, tive lições de pai alheio. Sim! Uma criança de ar angelical perguntava sobre os benefícios do karatê em sua vida, de uma maneira tão ingênua e doce que até me assustou, afinal hoje em dia a infância se tornou palavra pejorativa.



O fato é que paternidade nunca foi algo que me animasse, sempre foi algo confuso para mim. Minto, sempre! É exagero, lembro-me de quando era criança que aguardava ansiosamente a chegada de meu pai do trabalho. Ele sempre trazia um doce, sei lá como se chamava aquilo, era uma caixinha com uma espécie de m&m's. Gostava também de ver ele e minha mãe consertando alguma coisa, limpando o ventilador, reforrando o sofá (sim, pois o sofá lá de casa era encapado com uma nova estampa cafona todo ano) e adorava, me divertia quando eles brincavam de brigar e xingar-se mutuamente, era a maneira deles de dizer que se gostavam. Adorava quando aparecia um rato dentro de casa, e minha mãe louca subia nos móveis com um cabo de vassoura dizendo que só dormiria se matasse o infeliz. Divertia-me vendo eles com vassouras atrás do pobre coitado. Fui obrigado um dia a matar o rato. Neguei. Eles me olharam estranho. rsrs!



Com relação ao meu pai existem coisas desagradáveis que se fosse escrever, poderia criar um blog novo. Sempre me lembrarei de quando ele, já notando a minha diferença com relação aos outros garotos, ou seja, da minha homossexualidade, me obrigou a beijar a televisão, onde passava aqueles programas de auditório com mulheres de biquíni esfregando a bunda na câmera. Acho que neguei. Minha mãe ficou calada. E eu não o culpo, afinal era a maneira de ele corrigir o que acreditava ser um desvio moral.



Tinha uma cadela, ela se chamava Lili. Adorava ficar com ela. Era minha companhia das tardes em casa, deitava e pra assistir televisão ela colocava a cabeça na minha lombar como se fosse uma almofada. Era uma festa quando minha mãe chegava do trabalho, latia e pulava e corria. Os portões se abriam e eu podia sentir o lado de fora do mundo. Eu e a Lili. Ele chutava ela, chutava a Lili sempre a noite sempre que ela latia, sempre que ela não latia, antes de dormir quando ia na geladeira. Ela olhava pra ele com medo, e vi o medo quando era criança e via nos olhos de minha cadela, ela diminuía de tamanha todas as vezes que ele aparecia. Eu não fazia nada. Eu nunca fiz nada. Ficava calado, quieto, de cabeça baixa, como minha mãe, como a Lili. Daí em diante comecei a temê-lo, a odiá-lo e essa raiva crescia, e crescia e crescia que ficava com raiva do nada, imaginava-me batendo nele, arrastando ele pela rua. E essa raiva cresce e cresce e cresce e imagino-me arrastando-o pela rua.


A Lili morreu envenenada. Não creio que tenha sido ele. Nunca pensei na verdade e acho que não foi. Amava animais. Hoje os aceito. Mas não os quero mais comigo, como companhia.


Criei amigos que hoje tenho pouco ou quase nenhum contato. Amigos esses que me deram a base do que sou hoje, mas hoje sou outro... Outro que as vezes nem sei e que talvez eles estranham.


O fato da mãe da ''L'' abraça-la sempre me assustava, achava esquisito quando ela dizia que falava de tudo com ela, até de sexo. Percebi ai que a minha família era uma pouco diferente. Acostumei-me. De resto era isso, não que aquele dado momento fora de Fortaleza tenha trazido tudo isso, ou trouxe sei lá!. Só sei que achei lindo aquele pai. E eu achando que essas coisas só tinham em filmes de comédia romântica americana de dia dos pais.

Dançando no Quintal

video

Fiz esse vídeo para mandar para um edital de dança aqui de fortaleza, mas acabou que não deu certo pis o vídeo ficou muito curto, então quis aproveita-lo de alguma maneira colocando aqui para quem quiser me ver movendo a musculatura de maneira esteticamente apreciável.(loka!)

Percebo que estou me repetindo na movimentação, preciso iniciar uma investigação corporal, rrsrsrsrsrsrsr.

Bosta (letra maiúscula, pois agora se tornou obra de arte)

    Estava eu em minha poltrona confortavelmente sentado a ler ''Desconstruir Duchamp, de Affonso Romano de Sant'Anna'', que por sinal é interessantíssimo, pois o autor crítica essa maneira saudosa que certos artistas tem com as décadas modernas e a transformação da arte em um jogo de caça palavras, enigmatizando cade vez mais a obra, tornando a arte em um mero jogo de adivinhação.

    Mas meu real intuito de vir aqui não foi falar sobre isso, e sim divulgar o trabalho desse artista que descobri no livro e que confesso ter me encantado por sua aparente ironia com  mercado de arte contemporânea, e a própria arte.

    Sua obra consiste da evolução de uma obra anterior, que também é bastante interessante, onde Wim Delvoye artista belga envia para bienal de Veneza uma lata com fezes rotulada  Merda do artista.

kkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkk !!!!

    Essa obra que motivou-me a escrever sobre a indignação e o acesso duradouro de gargalhadas foi o projeto de um aparelho que fabrica merda artificialmente( Cloaca o nome do projeto) . São seis câmaras de vidro contendo enzimas, ácidos, alimentos, bile, bactérias e tudo que é necessário para que seja produzida uma boa bosta, uma espécie de artificialização do intestino que cada 24h produz a tal merda que sai desfilando em uma esteira rolante.

   O preço do projeto foi de 200 mil dólares( Creia!) E na Bélgica, onde começou o projeto, a obra de arte final, ou seja, a Bosta(letra maiúscula, pois agora se tornou obra de arte) era vendida por 100 dólares. Com essa, vou deixar a dança contemporânea e vou ao banheiro, preciso pagar meu aluguel.kkk!

    Confira algumas imagens do projeto Cloaca





P.S.: Amei a embalagem, rsrsrsrsrsr.


    Link's

 fonte: Desconstruir Duchamp, arte na hora da revisão.  Affonso Romano Sant'Anna Site oficial

Wim Delvoye Cloaca factory site oficial

Hi, Peoples!
Agradeço aos que tem a paciência de me ler nesses tempos tão apressados e efêmeros. Hoje trago aos que admiram arte pop um designer gráfico paulistano, William Sanfer , que resolveu dar um revival na arte do Tio Andy W. ( salve!).

William Sanfer é designer gráfico, formado em publicidade, desde 2003 trabalha criando layouts para web, capas e menus para filmes, mais ou menos da mesma maneira que Tio Andy começou. Confira agora alguns trabalhos do cara, no fim da post, você poderá conferir os links do trabalho do bunitu. BJITOS beautiful!

 

 


                                   
                                          WillianSanfer Urbanarts               Williansanfer Flickr

Será que eu acredito? (segunda vez bee.)kkkkk

O 10 de Ouros emerge do Tarot como arcano conselheiro para este momento de sua vida, felipe. A idéia deste arcano é clara: chegou o momento de gozar da boa fortuna, que resulta não da sorte, mas do esforço empreendido. Não se culpe por conseguir coisas que outras pessoas queridas não conseguiram. Não devemos nos medir pelos outros, mas aceitar o nosso próprio sucesso e fazer com que este sucesso sirva de exemplo para os demais. Saiba exercitar seu senso de abundância e você terá diversas oportunidades para distribuir generosidade pelo mundo, multiplicando a felicidade obtida. Há momento em que a sorte se manifesta. Aceite-a, simplesmente, sem culpas ou excesso de filosofias!


Fonte:Personare

Pesquisar este blog